Não espere companhia

“Solidão é foda”, eu ouvi de um ex-namorado aos 17 anos. Estávamos numa cantinha italiana, numa sexta à noite, diante de uma mesa ocupada por uma mulher. Ele viu uma mulher de meia-idade sozinha. Eu vi uma mulher arrumada, com cabelos impecavelmente escovados e com um semblante sereno, ler um livro enquanto aguardava uma lasanha.

Naquele instante, eu descobri que ele não era o homem da minha vida. E que estar sozinho nem sempre quer dizer ser solitário.

Hoje, postei no instagram algumas fotos da minha visita às Cataratas (Foz do Iguaçu-PR) contando sobre o dia incrível que tive. Sem nenhuma expectativa, terminei a postagem dizendo “junte seu dinheiro e não espere companhia”. Minutos depois, recebi e-mails com frases como “isso for para mim”, “sou louca para viajar, mas não saio desacompanhada”, “não tenho coragem de viajar sozinha” e por aí vai.

instagram

Querida, eu repito: não espere companhia. Não espere o beijo do príncipe para vida começar. Viajar sozinha é incrível: você sai e volta a hora que quer, não divide banheiro e fica livre para conhecer mais gente. Para que esperar a amiga ficar solteira para viajar se já inventaram a selfie e o pau de selfie?

Deve ser muito bom viajar com marido, mas aproveite enquanto ainda não o conhece para fazer coisas que só as solteiras fazem (sem culpa). A lista vai desde paquerar até coisas idiotas que você não faz na frente de homem. (Publico a minha lista um dia!). É lindo ver mães posando para fotos com os filhos, mas quando você tiver seus babies só vai escolher locais com banheiro, restaurante, estacionamento próximo, recreação, sombra, cadeiras e nenhuma emoção. (Que bom que eu já fiz rafting em Brotas, andei de buggy em Genipabu, me enfiei debaixo das Cataratas num bote, virei noites, viajei pacas, não desperdicei oportunidades e fiz outras coisas que é melhor não publicar. Nóóó.)

Pare de gerar insatisfações que não existem!

Você pode ser feliz agora, realizada sem marido, ter prazer sem estar no peso ideal e viajar sem companhia.

Ah, se cruzar com pessoas que pensam como meu ex-namorado, lembre-se que tendemos a ver os outros conforme o nosso interior. É muito provável que meu ex estivesse falando que a solidão que ele próprio sentia fosse foda. (Mas ok. Aos 17 anos e pensando em vestibular, eu jamais teria preparo para lidar com isso).

Pare de esperar, gata. A vida é agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *